Como disse uma filósofa que permanecerá anônima, “tudo que a gente inventa cria perninhas”. Pois é: o sonho de apresentar ao mundo uma proposta de reapropriação de movimentos básicos perdidos por uma vida que aliena o indivíduo de si mesmo ganhou muitas perninhas. Tantas que tornou o sonho internacional.

Com isso, pintou a necessidade de manter uma interlocução constante com gente de todas as partes do mundo. Toda época tem sua “língua franca”, que é o idioma default, utilizado como base da comunicação universal. Já foi latim, já foi francês e alemão e hoje seguramente é o inglês.

Por esse motivo, minhas principais mídias sociais são fundamentalmente em inglês.

Isso causou um certo nervoso na galera, especialmente aquela que começou a seguir minhas propostas lá atrás, além do pessoal que travou conhecimento com meu pensamento sobre saúde mental e a maneira integrativa de abordá-la através de vídeos em português.

Sem stress: para isso criei uma série de grupos temáticos onde eu seguramente participo e escrevo em português castiço. Os grupos são legais porque permitem mais interação entre todos. Essa foi minha opção para manter esse diálogo com o pessoal do Brasil, sem deixar de cumprir meu caminho, que é da fronteira para lá.

Vamos aos grupos:

  1. Aliança Nacional da Força/ Brazilian Powerlifting League: esse é o grupo considerado mais profundo e sério na discussão sobre o treinamento e esportes de força no Brasil. Começou há muitos anos, manteve critérios duros, coerentes com a consistência de padrões de nossa matriz internacional, a International Powerlifting League. “Mas eu queria discutir treinamento, não entrar numa federação ou competir”. É aqui mesmo o seu lugar: embora o grupo tenha como um de seus propósitos ser o canal de comunicação oficial da BPL com seus membros, mais de 90% da discussão não é “partidária”, sendo discussão técnica stricto sensu. Se o papo é sobre força, programação de treino e competição, é lá que você me encontra. Endereço: https://www.facebook.com/groups/ANFBrasil/
  2. Nutrição Esportiva baseada em Evidência. Acho que uma boa parte do livro “Estética e Saúde – a linha tênue entre saúde e beleza”, que publiquei pela Editora Phorte dem 2011 está relacionada a nutrição ou nutrição esportiva. A ponto de algumas pessoas me confundirem e acharem que eu sou nutricionista. Não sou, mas como bioquímica, meu interesse em nutrição vai mais fundo do que de alguém que não vê o mundo em moléculas. Por isso, e também pelo fato de que foi (e ainda é) minha ocupação dar consultoria em informação técnica em saúde, esse grupo conta com a minha participação nesses assuntos. Endereço: https://www.facebook.com/groups/nutricao.esportiva.com.evidencia/
  3. Levantamentos de peso. O grupo começou quando o Joel Fridman e eu criamos o curso “Cinco levantamentos”. Era nossa convicção de que era preciso ensinar a força não apenas segundo seus padrões fundamentais (agachar, empurrar e puxar), mas também suas manifestações fundamentais (estática e dinâmica). O projeto meu e do Joel continua, diluído em tudo que nós dois fazemos. A idéia também. A ênfase é no levantamento de peso olímpico, do qual nenhum dos moderadores é especialista. No entanto, nossa consideração por este esporte como repertório de gestos absolutamente essenciais e universais e tal que resolvemos mantê-lo. Endereço: https://www.facebook.com/groups/478431225506527/
  4. Proatividade Alimentar – o grupo de discussão. Esse grupo é a versão “grupo” do que é a página e o blog, há algum tempo meio abandonados. Em formato de grupo, mais pessoas podem efetivamente contribuir e se envolver em discussões produtivas sobre esse tema que é completamente auto-explicativo: proatividade alimentar. Alimentação baseada em decisões conscientes e bem informadas. Que nos valeu a perseguição por grupos (ou apenas indivíduos, não sei) gordoativistas furiosos, em plena caça contra gordofóbicos. Com um universo de mercado da beleza promovendo efetivamente gordofobia, não é preciso um doutorado em ciências sociais para entender que essas moças estão apenas na nojenta disputa de poder que caracteriza grupelhos como o PSTU e outros Justiceiros Sociais, tão distantes da justiça quanto da sociedade. Endereço: https://www.facebook.com/groups/proatividade.alimentar/
  5. A Loucura nossa de cada dia. Esse grupo, honestamente, eu criei para absorver a imensa demanda de gente que quer conversar comigo depois dos vários vídeos sobre saúde mental e treinamento, sobre suicídio, sobre estupro, onde eu apareci. Eu não dou conta. Especialmente porque esse pessoal tem uma grande necessidade de contar a própria história. Eu acho que o formato de grupo é o ideal para isso, já que no meu e-mail, com mais de 400 por dia, eu não leio história de ninguém. Também acho que é um espaço para reflexão sobre formas de manejo da própria desordem ou disfuncionalidade, além de discussão sobre aspectos patológicos da vida social. Endereço: https://www.facebook.com/groups/loucuranossa/
  6. Liga Brasileira de Strongman. O Strongman é um esporte irmão do powerlifting. Fui eu que assinei, como responsável, pela participação dos primeiros atletas brasileiros no Arnold’s Amateur Strongman Championship de Ohio, antes que eles tivessem as federações deles. Também fui eu que criei este grupo. Durante um tempo, eu estive muito envolvida no processo de institucionalização deste esporte e ainda estou na discussão conceitual sobre treinamento. Endereço: https://www.facebook.com/groups/BSMbrazilstrongestman
  7. Termotipos e cronotipos não tropicais. Este é um grupo para pessoas que sofrem sintomas clinicamente graves em temperaturas muito quentes durante período prolongado, ou em excessiva exposição à luz solar. Também para pessoas interessadas nestas condições. Endereço: https://www.facebook.com/groups/1486414168297332/
  8. Política e Cultura na vida cotidiana – um grupo sem hipocrisia e coitadismos. De todos, este é o único grupo fechado. Não seria, se eu ainda não tivesse uns poucos amigos com bastante inflexibilidade ideológica e não tivesse vontade de não perdê-los. Por decisão profissional, não discuto política na minha página ou perfil. Na página, porque ela é meu escritório virtual. Não pode discriminar gente de religião, time de futebol ou ideologia alguma. No perfil, porque tenho amigos com diferentes cores ideológicas. E também porque meu perfil é hoje um braço mais interativo da página, com propósitos mais profissionais do que pessoais. Endereço: https://www.facebook.com/groups/433125073550094/