Logo ANF - 08.05.2009

 

Os últimos acontecimentos envolvendo o atleta Marcos Ferrari no campeonato brasileiro da CBLB, acontecimentos estes cujos bastidores me envolveram a um nível que se torna difícil de compreender, dado o fato de que não me relaciono com esta entidade há anos, me levam a esclarecer os seguintes pontos aos meus ATLETAS (na condição de presidente da ANF), aos meus ALUNOS (na condição de professora que sou e sempre serei) , aos meus LEITORES (na condição de escritora e pesquisadora que também sempre serei) e aos meus SEGUIDORES (que variam com o tempo):

  1. SIGLAS são abreviações que representam o nome completo de organizações. ASP quer dizer Application Service Provider; IBGE é Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. ANF é Aliança Nacional da Força. WPC é World Powerlifting Organization. IPF é International Powerlifting Federation. Não se pode atribuir a organizações ou instituições julgamentos morais ou atitudinais. Assim, elas não são simpáticas, legais, sacanas ou inescrupulosas. Nem têm responsabilidade social ou ética. Estes são atributos de PESSOAS. Portanto, não devemos julgar moralmente instituições – apenas analisá-las. O julgamento, a emoção, tem lugar na relação com pessoas.
  2. Isto posto, de forma alguma eu acho a IPF “sacana”, “injusta” ou “corrupta”. Nem ela, nem organização nenhuma. Seus dirigentes, ou, mais precisamente, alguns de seus dirigentes, podem de fato ostentar tais atributos. Suas deficiências morais NÃO são transferidas para a organização e NÃO a contaminam.
  3. Marcos Ferrari foi escandalosamente injustiçado, “bullied” e mal-tratado não por uma organização, mas por pessoas que, infelizmente, tinham poder nas circunstâncias em questão para exercer tais ações reprováveis.
  4. Existem ambientes mais e outros menos favoráveis a certos tipos de interação. A beleza da existência de muitos é a possibilidade de cada um se encaixar no seu. Na ANF, é uma decisão inegociável e irreversível que o ambiente é do tipo familiar, que não são aceitos certos comportamentos hostis e pouco civilizados, que crianças devem ter segurança para circular pela área pública, que qualquer uso de substância proibida é confrontado com banimento instantâneo, entre outras medidas que foram efetivas em atrair para ela um público de nível educacional mais alto. Quem acha isso excludente e elitista tem toda a liberdade para ir para outros ambientes – existem vários. É nossa opinião (que não está em discussão) que, em primeiro lugar, gostamos assim. Em segundo, contribuímos para melhorar a vida de quem quer crescer.
  5. A arbitragem na ANF segue as regras do organismo internacional de sanção do campeonato sendo realizado. No momento, a responsável geral sou eu. O princípio de arbitragem mais sagrado para mim é a justiça e, o segundo, a CONSISTÊNCIA. Já está bem cansativo ouvir reclamação de atletas que competem em outros lugares sobre explicações ad hoc para luzes vermelhas arbitrárias. Isso não acontece na ANF por vários motivos. Em última instância, porque eu não deixo (já que sou eu que respondo ao WPC e à IPL). Simples.
  6. O ocorrido com Marcos Ferrari foi informado a vários dirigentes do WPC de outros países porque, não é segredo de ninguém, as pessoas conversam bastante e são amigas. Não houve e nem haverá uma comunicação formal – seria constrangedor demais expor o Brasil mais uma vez como lócus de comportamentos não civilizados. No entanto, medidas serão tomadas para compensar o desconforto do Marcos, pois existem muitas pessoas civilizadas pelo mundo.
  7. A minha reação pessoal às inúmeras manifestações enraivecidas sobre minha pessoa, sobre meu comportamento sexual, sobre fantasias variadas quanto a outros comportamentos que eu teria é rigorosamente nenhuma. De novo, eu não deveria importar: as pessoas deveriam vir competir numa organização chamada ANF, da qual eu sou a presidente e, nesta qualidade, guardiã de certas decisões que tento esclarecer.
  8. Todas as pessoas que competem em qualquer outro lugar, federação, organização, clube ou seja lá o que for são bem vindas aos campeonatos da ANF e serão tratadas de maneira isenta, exceto Heberle Silveira (“Miudinho”), que eu pessoalmente bani da ANF e de todas as organizações à quais ela é filiada. É assim que funciona o mundo civilizado.
  9. Finalmente, Marcos Ferrari, fora dos tablados, e Marilia Coutinho, fora dos tablados, são amigos pessoais. Alguém em sã consciência acha que esses laços não determinam que ações mais ou menos enérgicas serão tomadas em defesa de uma ou outra pessoa? Claro que sim. Para mim, particularmente, amigos deste grau de intimidade familiar têm uma forte semelhança com irmãos de sangue, pois freqüentemos a casa uns dos outros, interagimos com filhos e cônjuges, etc. Enfim, somos seres humanos.