• Em termos bem gerais, o que é uma lesão músculo-esquelética?

R: É uma lesão por trauma direto ou indireto do aparelho locomotor, ocasionando contusão, estiramento ou laceração muscular. Podem ser de intensidade e extensão variadas.

 

  • Fora sinais muito óbvios (parte exposta de uma fratura, por exemplo), no que um atleta deve prestar atenção para identificar uma lesão? Dor “do bem” e dor “do mal”, como diferenciar uma da outra?

R: Deve-se ter maior atenção com dores persistentes (maior que 24hs), dores limitantes (não conseguir apoiar o pé no chão para andar, ou elevar o braço, por exemplo), edemas articulares ou musculares, aumento da temperatura e/ou vermelhidão no local.

 

  • O que fazer no caso de uma lesão aguda? Qual a melhor orientação para quem está em volta e pode ajudar? O que não se deve fazer nunca?

R: O ideal, em lesões fechadas, é a realização de compressas de gelo no local e realizar imobilização provisória até que o médico avalie. Manter o membro elevado também pode ajudar para que o membro não inche. Evite garrotear o local, e em casos de ferimentos, apenas comprima o local para estancar o sangramento. Em casos de dores musculares ou articulares agudas suspenda atividade física imediatamente.

 

  • O que favorece e o que ajuda a prevenir a ocorrência de lesões esportivas?

R: Antes da atividade esportiva deve-se aquecer bem o corpo todo (e não só o membro a ser mais utilizado) e alongar levemente. Após a atividade deve-se alongar um pouco mais intensamente. Começar a atividade esportiva com intensidade leve e aumentar gradativamente, também pode ajudar a preparar o corpo para atividades mais fortes.