A seguinte pergunta me foi feita ontem. Está sendo transformada num artigo, mas não sei quando a versão em Português estará disponível (se é que um dia terei tempo para isso).

=============================

PERGUNTA: Por que as pessoas preferem a ditadura e repressão à democracia e liberdade?

Digo isso porque um amigo de um amigo, que vai competir o sul americano da XXX (federação) disse que, se o atleta não se hospedar no hotel conveniado, ele paga uma MULTA de 40 dólares por dia pra federação.

Indignado, como eu fiquei, meu amigo perguntou: “mas isso é dito meio as escondidas, né?” E o cara respondeu: “não. Dizem abertamente. Se hospede nesses 2 hoteis conveniados ou pague 40 dólares de multa por dia”.

Os dois hotéis são absurdamente caros (um é o Sheraton e outro é mais caro ainda) em XXXX (cidade), XXX (país).

– cobram antidoping que não fazem
– falsificam testes negativos
– atletas todos são obrigados a ter uma equipe
– compram atletas com bolsas
– obrigam atletas a se hospedar no lugar que eles querem… e mais um monte de coisa

Porque uma alternativa ética e de liberdade não funciona aqui?

============================

MINHA RESPOSTA: Vou começar por uma frase de um show que eu assisto num misto de angústia e curtição: “Homeland”. Dêem um google sobre o seriado. Num certo ponto, um agente da CIA argumenta com outro “não podemos enfiar democracia goela abaixo deles”. De fato, democracia não funciona se imposta. Populações com tradição institucional milenar de totalitarismo ou governos autoritários, em geral, não aceitam e efetivamente rejeitam a democracia. O sistema democrático devolve ao indivíduo uma dose de responsabilidade que os demais sistemas administram através do Estado. Os indivíduos aculturados em sistemas autoritários/totalitários simplesmente não possuem os instrumentos cognitivos e emocionais para processos de tomada de decisão que impliquem estes níveis altos de responsabilidade e auto-determinação. Some-se a isso o fato de que há vantagens oferecidas para a submissão e o comportamento “coitadista”, temos aí a equação perfeita. Isso quer dizer que não importa a federação, e sim onde ela se implanta? Em parte sim. Esta mesma federação tem comportamento eticamente bom aqui nos Estados Unidos. Processos de perseguição fascista, como tantos atletas sofreram no Brasil (eu, inclusive) jamais ocorrem aqui. No entanto, tal federação tem a maior parte de seus países membros vindos de tradições autoritárias, muitos do quais efetivamente ditaduras, sem ter jamais tido sequer uma sombra de experiência democrática. A America do Sul tem países com governos populistas travestidos de democracia, ou “quase-democracias”. A excessiva intervenção estatal e a onipresença das máfias, bem como o papel determinante dos cartéis do crime organizado na política, fazem com que qualquer mudança seja muito difícil.

Os atletas são pessoas que nasceram e cresceram sob tais sistemas.