Maria Cecília Martins Brito, que ocupa o cargo de diretora da ANVISA (http://www.anvisa.gov.br/institucional/anvisa/quem.htm – procure em “Diretoria Colegiada – DICOL”), declarou que ”.“A evolução do conhecimento científico sobre nutrição indica que esses alimentos devem ser consumidos apenas por pessoas que pratiquem exercício físico de alta intensidade, com o objetivo de rendimento esportivo ou de competição” (http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2008/141108.htm ).

Vejam a descrição introdutória do currículo Lattes de Maria Cecília: “possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Goiás (1981) , graduação em Farmácia Bioquímica Mod Análises Clínicas pela Universidade Federal de Goiás (1984) e especialização em Curso de Especialização Em Saúde Pública pela Universidade de Ribeirão Preto (1991) . Atualmente é Servidor público ou celetista do Governo do Estado de Goiás” (http://lattes.cnpq.br/1987871323561892 ).

Ao contrário de inúmeros de nós, que jamais fomos consultados sobre a barbaridade contida na Consulta Pública no. 60 (http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B24416-1-0%5D.PDF ), esta senhora sequer mestrado possui. Assim, quais credenciais tem ela para afirmar qualquer coisa sobre a evolução do conhecimento científico sobre nutrição? O mais ofensivo na atitude da ANVISA é que sejamos confrontados por alguém que não tem:

  1. legitimidade científica (tendo uma formação acadêmica mínima)
  2. legitimidade profissional (não sendo sequer nutricionista)
  3. legitimidade profissional de novo (não entendendo nada sobre esportes ou atividade física, pois não possui CREF)

Chega das formas variadas de autoritarismo fascista, estalinista e suas variantes que no fim se encontram! É preciso por um bridão na boca dos medíocres investidos de poder ilegítimo, exercendo violência sobre os qualificados para tomar decisões e sobre a população indefesa!!