Na verdade eu nem sei se minhoca tem memória ruim. Devia saber: afinal, sou bióloga, estudei minhocas, mas não me lembro muito delas.

Acabo de receber a notificação de um comentário numa postagem sobre um vídeo interessante. Vi que eu fui a primeira a comentar, comentei que achei genial mas não tenho a menor idéia sobre do que se trata mais… Daí lembrei de um dia, depois de defender minha tese, em que sentei para ler um livro “novo” (agora eu tinha tempo). O livro estava cheio de anotações – eu devia ter comprado num sebo. Fiquei espantada com o quanto as anotações coincidiam com as minhas opiniões (novas!) sobre o conteúdo. Então achei surpreendente como a caligrafia – uma letrinha apertada de forma  – parecia com a minha. Só então me dei conta de que tinha lido o livro inteiro e ainda feito anotações detalhadas, mas não lembrava nada. Agora lembro, era “As palavras e as coisas”, do Foucault.

Hoje eu alongava enquanto o Joel começava a aula das 18:30h na Crossfit Brasil e fiquei olhando um pouco apreensiva, pensando que era sorte eu ser apenas um ornamento móvel ali e não uma atleta de Crossfit. Caso contrário em pouco tempo eu não me chamaria mais Marilia, e sim Burpee: a pessoa que erra ou não lembra o nome de outra do grupo paga um certo número de burpees. Certamente eu passaria a aula inteira fazendo burpee.

Eu ainda acho que todos os homens se chamam Tiago, Diego, Rafael ou Marcos. Com algumas exceções.

Acho que algumas áreas do meu cérebro são realmente muito deficientes.