Existem vários artigos muito bons sobre “treinamento de strongman” (todos em inglês, é claro). No entanto, quase todos eles se referem a um treinamento baseado no esporte Strongman ou utilizando o repertório de exercícios e movimentos do mesmo.

Qual a diferença?

O Strongman é um esporte caracterizado pela multiplicidade de expressões da força e de outras capacidades funcionais. No rigor técnico, todo esporte é específico e, portanto, por definição, não “completo”. No entanto, os modelos mais modernos e críticos para preparação esportiva preconizam que o atleta desenvolva bem outras capacidades funcionais que não as diretamente associadas aos seus gestos esportivos e às demandas de um evento competitivo (e, portanto, todo atleta deveria ser bem “completo”). Ainda que todo atleta seja idealmente “completo”, o esporte que produz atletas mais completos é o Strongman.

A modalidade Strongman é caracterizada por eventos constituídos por um número que varia de cinco até mais de 10 provas escolhidas num repertório de mais de vinte, sendo que novas provas são inventadas a cada ano. Estas “invenções” ocorrem sempre dentro da proposta de desafiar o atleta na realização de tarefas de:

– força máxima (como um terra muito pesado)

– potência máxima (como um log lift muito pesado)

– força de repetição (como o maior número de levantamentos terra num determinado período, que vai de 60” até 90”)

– potência em repetição

– força isométrica (segurar objetos pesados pelo maior tempo possível, como na prova dos pilares de Hércules)

– combinações destas: medleys com tarefas de força de repetição e ações potentes repetidas por tempo

– tarefas que envolvem simultaneamente todas estas formas e grande resistência cárdio-vascular (como as provas de Fingal’s Fingers).

Assim, os treinos baseados no Strongman ou que utilizam elementos de seu repertório são sistemas de treinamento para produzir força e condicionamento o mais completo e complementar possível. Completo, por envolver muitas expressões de força e complementar por envolver movimentos onde estas capacidades se combinam para se potencializar, não sendo apenas uma colagem de exercícios específicos.

Muitos centros de treinamento adotam estes sistemas para promover condicionamento geral em seus praticantes. Sistemas assim também são aplicados com muito sucesso na preparação física de atletas de luta, rugby, futebol americano, entre outros esportes. Finalmente, o treinamento tático (para operadores táticos, como bombeiros, policiais e soldados) cada vez mais envolve estes sistemas.

É evidente que a periodização do treinamento dentro de um sistema como este é complexa e requer ao mesmo tempo grande conhecimento técnico por parte do treinador como bom-senso na hora de perceber a individualidade de cada atleta/praticante diante das inúmeras e variadas demandas apresentadas.

Outra coisa completamente diferente é o treino de um atleta de Strongman, ou treino DE Strongman.

O atleta de strongman é um indivíduo, como todo atleta, que se prepara para ter bom desempenho em competições. Assim, o tempo dele (o ano, os meses, as semanas e os dias) são divididos segundo um calendário competitivo.

Porém, como diferente de outros esportes, cada competição será diferente da anterior. Com mais de vinte tipos diferentes de provas e várias formas de execução para cada uma, as combinações são literalmente infinitas. Por isso, as provas devem ser divulgadas com 90 dias de antecedência, que é o que se admite como período adequado para periodização de uma preparação competitiva específica.

Sim, específica, pois o atleta estará se preparando para executar uma prova de log lift por repetição com cargas de 150kg, depois um medley de cangalha de 400kg, saco de areia de 90kg e Hussefeldt Stone de 180kg, depois terra por repetição em veículo e finalmente Atlas Stones por repetição com bolas de 180kg e traves de 130cm, por exemplo. Numa outra competição ele pode ter que se preparar para uma prova de Fingal’s Fingers, outra de Giant Dumbell de 90kg por repetição, um medley de tombamento de pneu e arremesso de barril e finalmente uma prova de terra com cargas crescentes.

Nesse caso, durante três meses ele deverá se tornar o mais hábil, rápido e forte possível na execução das tarefas específicas da competição pela frente e é para isso que treinará. Serão feitos treinamentos específicos toda semana, várias vezes por semana.

Além disso, em doses diferentes ao longo destes três meses, o atleta de Strongman não abandonará os treinos básicos (agachamento, supino, terra, arranco, arremesso, roscas e remadas). O currículo de um strongman começa por suas cargas nos powerlifts, ou levantamentos básicos.

Ele também não poderá descuidar de protocolos de treinamento que mantenham e aumentem sua resistência cardio-vascular, dentro das demandas específicas.

Finalmente, ele precisa manter e desenvolver potência: saltos em caixa, arremessos diversos e os levantamentos olímpicos.

Isto posto, não é possível criar um modelo geral para “treinamento de um strongman”. Em primeiro lugar, porque, como expliquei, cada ciclo de treinamento depende do desafio competitivo para o qual o atleta se prepara. Em segundo lugar, porque o atleta é um “sistema dinâmico” e suas próprias deficiências, demandas, dificuldades, lesões e outras variações mais imponderáveis mudam dinamicamente, o tempo todo.

Deu para entender a diferença entre “treino baseado no Strongman” e “treino de um Strongman”?

  • David Santana

    Muito bem explicado mestra, realmente é difícil se adaptar a tanta mudanças nas provas de Strongman, umas vão exigir muito da parte cardio-respiratória, outras potencia, é bem isso mesmo, no geral temos que nos tornar de tudo um pouco, temos que tornar o corpo blindado, enfrentamos problemas com o clima, é bem complexo mesmo, mais muito bem explicado Dr Marília Coutinho nossa mestra!

  • Marcos Ferrari

    Dra Marilia, o Strongman como esporte cresce assustadoramente no campo de aprendizado de técnicas, inclusive adaptação e aperfeiçoamento.É interessante ver que cada vez mais utiliza-se destas técnicas para melhora de performance em outras modalidades esportivas, como vc expôs brilhantemente, A Strong Monsters vem ja a 3 anos disseminando esta idéia e ja tivemos atletas de várias modalidades conosco, mas quando o lance é formar um novo “atleta de Strongman” ae a coisa é bem mais complicada. Hoje me arrisco a dizer que um novato, caso não seja oriundo de uma das escolas de força, powerlifting ou weightlifting, levará no mínimo 1 ano fazendo a base para depois encarar os treinos específicos mais pesados. Não que ele não consiga, talvez até consiga manipular cargas altas, mas seu corpo não foi preparado para isto, então lesões podem ser inevitáveis….
    Estou catalogando a minha experiência como atleta desta modalidade e posso garantir que existem muitos aspectos importantes de um treino de Strongman, que não são levados em conta qd o treinamneto é apenas baseado no Strongman, como vc escreveu muito bem….

  • Daniel Eduardo Barbosa

    Texto esclarecedor e de fácil entendimento. Meus Parabéns e muito obrigado por você contribuir com tanta dedicação e riqueza para o desenvolvimento do Esporte. Abraços…

  • Bruno Leal

    Tem razão o Strong Man é um desporto completissimo de força e um atleta para ser bom tem que ter força explosão e velocidade… Não pode ser só forte senão não terá exito nas provas rapidas e vice versa e tem que ter resistencia para aguentar as provas de altas reps… Strong Man é fabuloso… Adoro competir no strong Man… Abraço para a professora e bom ano de 2013 são os votos de
    Strong Man Bruno Leal

  • nuno araujo palhaço

    boa professora para o bruno leal pescas ser um atleta strongman,foi necessario tudo o que disse ele era um ze ninguem se nao fosse eu nuno araujo ensinar o que voce disse bruno ira com os meus enssinamentos um grande mestre de val tudo parabens.
    nuno araujo palhaço