Pergunta do leitor:

Fernando Aug 20th, 11:12am : “Bom dia. Você poderia sugerir um artigo seu onde fala sobre treino de power duas vezes ao dia, por favor?”

Não tem outro artigo, então vamos tentar sanar sua dúvida aqui. Tudo depende de que treino estamos falando. Quando falamos de dois treinos por dia em natação, em geral ambos se referem ao gesto específico, possivelmente variando a rotina e intensidade; quando falamos de dois ou três treinos por dia em levantamento olímpico, falamos de arranco, arremesso, suas dezenas de auxiliares e todos feitos com potência a intensidades relativamente altas.

No entanto, dois treinos de powerlifting por dia, envolvendo o gesto específico (agachamento, supino e levantamento terra), na intensidade própria a este esporte (acima de 80%), levariam rapidamente o atleta a síndromes de sub-performance.

O que está envolvido aqui são os fenômenos de inibição e supercompensação. Todo estímulo de treinamento produz uma resposta adaptativa inicialmente inibitória, para depois de um tempo “x” condicionado por inúmeras variáveis, supercompensar. A supercompensação é a emergência de um novo estado do organismo capaz de, em um ou mais indicadores escolhidos, desempenhar ou gerar um output superior ao da linha de base do período anterior.

A curva do modelo matemático que descreve esse fenômeno é uma senóide, sempre. O que varia é o tempo na abscissa.

O problema é que varia muito. A supercompensação de um estímulo de força estática (ações concêntricas máximas e sub-máximas ou ações isométricas máximas) é várias vezes mais lenta do que de um estímulo de potência.

Assim, enquanto um levantador olímpico pode treinar o gesto específico e suas variações duas ou três vezes por dia, o powerlifter pode ter que executar o gesto, dependendo do momento da periodização, apenas uma vez na semana.

Alguns atletas treinam duas vezes por dia. Eu diria que muitos, mas mesmo estes não responderiam que sim. O segundo treino é constituído de movimentos auxiliares pouco relacionados ao gesto específico, o que, na cabeça do powerlifter, não é treino de powerlifting. E alongamento? É treino? É sim, e também não é contado como tal. Treino mental, que alguns mais avançados fazem. Pode tomar cerca de uma hora por dia, mas não é computado. Treinos pré e re-habilitativos, em geral chamados de “fisioterapia” também são treinos – frequentemente, o segundo ou terceiro do dia.

Assim, o powerlifter pode e deve treinar mais de uma vez por dia: o treino com o gesto específico e seus auxiliares mais diretamente relacionados ao gesto são intensos demais para que numa mesma sessão se executem tantos outros auxiliares menos relacionados ao gesto específico. Alongamento, mesma coisa: melhor que seja feito em outro momento do dia.

 

assessoria botão 1