*foto em destaque:  Marcelo Kaneshira

 

Introdução

A faixa de punho, também conhecida por alguns como “munhequeira”, é um equipamento esportivo que se apresenta não apenas em grande diversidade de formas, materiais e dimensões, como se utiliza em várias modalidades esportivas com diferentes finalidades.

Observamos faixas de punho no tênis, na ginástica olímpica, no boxe e finalmente nos dois levantamentos de peso – o olímpico e o powerlifting – e na crossfit.

A indústria de equipamentos esportivos hoje proporciona uma imensa variedade de opções aos atletas e praticantes recreacionais. A primeira pergunta que o novato de um esporte ou um observador externo faz é: para que serve este equipamento?

Essa pergunta tem sempre duas respostas no que diz respeito a quase todos os equipamentos. A primeira é: protege. A segunda, frequentemente mais relevante na escolha do atleta é: melhora a performance.

De todas as modalidades onde o atleta utiliza equipamento pessoal, o powerlifting talvez seja aquele onde estes itens evoluíram mais longe no caminho da performance. Chamamos esse efeito de melhora de performance do equipamento de “carry-over”, que literalmente seria “ganho adicional”. Diz respeito à sobrecarga adicional levantada pelo atleta como resultado do efeito do equipamento.

Teria a faixa de punho um carry-over importante? Não: de todos os equipamentos utilizados nos esportes de força, a faixa de punho é aquele que menos se associa a qualquer produção de carry-over. No entanto, dez entre dez levantadores de peso não dispensam seu uso.  Por que?

Para responder esta pergunta, vamos explorar as origens deste equipamento, sua evolução, as características das articulações envolvidas em seu uso e, finalmente, seu efeito ou funcionamento.

Comecemos pela história das faixas de punho, que já vão revelando muito das respostas que buscamos.

O uso de faixas e proteções de punho de maneira geral é antigo e começou com o uso para o trabalho físico, como escavação, construção e corte de lenha. Outro uso importante, que precedeu o esportivo, foi o uso terapêutico: diversos equipamentos para proteção de punho foram desenvolvidos para ajudar no tratamento de lesões.

Vamos percorrer de volta este caminho que vai do trabalho pesado e do tratamento clínico à performance esportiva.

 

Um pouco de história

O primeiro dispositivo para proteção e suporte de punho patenteado no USPTO (United States Patent Office) foi protocolado e concedido em 1901. O objeto foi descrito por seu inventor, Vitold Drosness, um cidadão russo morando em Nova Iorque, como uma versão melhorada da tradicional faixa de couro utilizada por trabalhadores. A invenção de Drosness introduzia um sistema de fivela dupla que supostamente proporcionaria uma pressão mais uniforme em torno do punho (figuras 1 e 2). A patente reivindica que ela dá mais suporte e “força adicional” aos usuários, que seriam, pelo documento, trabalhadores.

Essa documentação histórica nos permite compreender que a origem deste objeto de uso pessoal é o trabalho braçal. As bandas de punho, precursoras das faixas de punho, eram usadas por esta população há muito mais tempo do que imaginamos na forma de objetos não protegidos por direitos de propriedade intelectual.

As figuras 1 e 2 mostram que o efeito restritivo do equipamento era limitado se comparado aos moderno e o material rígido (couro) não permitia modular o grau de constricção ao longo do movimento.

Esta faixa de punho primitiva é a origem das rotas tecnológicas que resultaram tanto nas modernas faixas de punho esportivas como nos dispositivos ortopédicos, como a documentação das patentes na tabela 1 demonstram. Isso tudo ocorreu através de inúmeras outras ramificações e aplicações inovadoras.

 

Tabela 1

Citada por:

Número de patente Título Data da concessão
5324244 Wrist assist device for weightlifting Jun 28, 1994
5599283 Orthopedic appliance retainer Feb 4, 1997
5980476 Non-compressive, distracting wrist brace Nov 9, 1999

Patent: WRISTBAND; Patent number: 680477; Filing date: Jun 14, 1901; Issue date: Aug 1901; Inventor: VITOLD DROSNESS

 

fig 1

Fig 1: Invenção de faixa de punho de 1901 – ilustração do documento de patente. Drosness 1901.

 

fig 2

Fig. 2: Detalhes da patente de 1901. Drosness 1901.

 

The next step in the technological routes of sports and orthopedic wrist wraps is James Tyrrell’s wrist support invention (table 2). This new device displays an anatomic sophistication: the material is still rigid, but it contains a small orifice to accommodate the pisiform bone (figure 3).

O passo seguinte nas rotas tecnológicas das faixas de punho esportivas e ortopédicas foi a invenção de James Tyrrell. Como a tabela 2 demonstra, ela é a base de referência (pesquisa do “estado da arte”) para os dispositivos modernos. A invenção de Tyrrell introduz uma sofisticação anatômica: o material ainda é rígido, mas contem um pequeno orifício para acomodar o osso pisiforme (fig 3).

 

Tabela 2

Citada por:

Número da patente Título Data da concessão
5324244 Wrist assist device for weightlifting Jun 28, 1994
6120472 Forearm splint system for treatment and prevention of carpal tunnel syndrome and other cumulative trauma disorders Sep 19, 2000
6807680 Adjustable band to be worn by a person or animal Oct 26, 2004

Patent: WRIST-SUPPORTER; Patent number: 923217; Filing date: Jun 16, 1908; Issue date: Jun 1909; Inventor: JAMES TYRRELL

 

fig 3

Fig. 3: Patent: WRIST-SUPPORTER; Patent number: 923217; Filing date: Jun 16, 1908; Issue date: Jun 1909; Inventor: JAMES TYRRELL

 

Em 1923, temos a primeira invenção de dispositivo de suporte para punho desenvolvido para uso esportivo. A tabela 3 demonstra que esta foi o ponto de origem para toda a rota tecnológica dos equipamentos esportivos para punho. A invenção de Hansard é uma “luva de golfe” primitiva, com elementos internos rígidos para prevenir flexão e extensão do punho, como mostra a figura 4. Foi desenvolvida para uso no golfe, bilhar e “outros jogos”.

 

Table 3

Citada por:

Patent Number Title Issue date
3990709 Golfer’s elbow stiffener Nov 9, 1976
4103897 Golfer’s stance correcting device Aug 1, 1978
4138108 Athletic hand/wrist positioner Feb 6, 1979
4198709 Bowling glove Apr 22, 1980
4384571 Adjustable digital/metacarpal splint May 24, 1983
4502688 Wrist and hand support device Mar 5, 1985
4575089 Golf pronation device Mar 11, 1986
RE32566 Bowler’s glove and wrist support Dec 29, 1987
4873968 Adjustable hand splint Oct 17, 1989
4899763 Therapeutic appliance for the wrist Feb 13, 1990
D331042 Wrist brace for use with computer keyboards Nov 17, 1992
5180169 Golf swing aid Jan 19, 1993
5193771 Typist’s wrist support Mar 16, 1993
5339465 Palm guard for sports Aug 23, 1994
5350345 Exercise apparatus for the upper arm Sep 27, 1994
5476439 Remedial hand wear article Dec 19, 1995
5499820 Golf swing training device and method Mar 19, 1996
D374314 Hand and wrist support for bowlers Oct 1, 1996
5593353 Putting stroke training apparatus Jan 14, 1997
5634854 Golf swing training device and method Jun 3, 1997
5685809 Hand appliance for quadriplegic kinestherapy Nov 11, 1997
5725490 Elastic wrist brace with support and longitudinally extending fastener Mar 10, 1998
5823980 Collapsible tactile support for body joints Oct 20, 1998
5846168 Hand appliance for quadriplegic kinestherapy Dec 8, 1998
5898936 Protective wrist guard assembly May 4, 1999
6001049 Light weight exercise apparatus Dec 14, 1999
6010473 Remedial hand wear article for preventing hyperextension with full distal knuckle flexure Jan 4, 2000
6213921 Light weight exercise apparatus Apr 10, 2001
6716185 Wrist angle brace Apr 6, 2004

Patent: WRIST SUPPORT; Patent number: 1469315; Filing date: Aug 25, 1921; Issue date: Oct 1923; Inventor: H. H. HANSARD

 

fig 4

Como se vê na tabela 3, a partir deste ponto diversas rotas tecnológicas se desenvolveram, tanto no esporte – em distintas modalidades, envolvendo diferentes movimentos de mão e punho – quanto aplicações ortopédicas e terapêuticas. Aplicações mais recentes como o posicionador atlético para mão e punho (Robinson 1979) e a luva-faixa de punho combinada (Walunga 1990) são o resultado do ramo esportivo de tais rotas. A inovação de Walunga (cujas citações encontram-se na tabela 4) é o primeiro dispositivo patenteado explicitamente identificando o levantamento de peso no quesito “reivindicações”. A tabela 4 mostra que a partir deste ponto, diferentes equipamentos para levantamento de peso relacionados às faixas de punho foram inventados e patenteados, sugerindo que havia um mercado maduro para este produto  em torno dos anos 1990s.

 

Tabela  4

Citada por:

Número de patente Título Data da concessão
4958384 Safety glove Sep 25, 1990
5004231 Exercise glove Apr 2, 1991
5033119 Glove for enhancing athletic performance Jul 23, 1991
5182814 Weight supporting glove Feb 2, 1993
D335368 Support glove May 4, 1993
5298001 Gymnastics safety grip apparatus Mar 29, 1994
5370606 Hand and wrist support Dec 6, 1994
D356203 Ski glove Mar 14, 1995
D360059 Wrist guard Jul 4, 1995
5435007 Wrist guard Jul 25, 1995
5435273 Animal leash Jul 25, 1995
5453064 Exercise glove incorporating rods which offer resistance to movement of fingers, hands, or wrists Sep 26, 1995
D362927 Athletic glove Oct 3, 1995
5456650 Ergonomic exercising and bracing device Oct 10, 1995
5498234 Hand and arm support Mar 12, 1996
D368351 Glove Apr 2, 1996
D369453 Combined glove and deterrent spray May 7, 1996
5517694 Weightlifting glove May 21, 1996
5555561 Cuff seal for anti-contamination protective garments Sep 17, 1996
5557806 Weight-lifting glove having a securing strap and sleeve Sep 24, 1996
5592694 Wrap type hand glove Jan 14, 1997
D380874 Aerobic glove Jul 8, 1997
D381128 Weight lifting glove Jul 15, 1997
5682611 Thumbguard Nov 4, 1997
5778449 Wrist guard Jul 14, 1998
5781928 Multi-purpose hand protector Jul 21, 1998
5813050 Wrist guard Sep 29, 1998
D410956 Convertible glove-mitts Jun 15, 1999
6317938 Safety accessories for an elastic/hook combination fastener Nov 20, 2001
6505350 Glove with removable fastener material Jan 14, 2003
7041032 Wrist band workout display May 9, 2006

Patent: Combined workout glove and wrist wrap; Patent number: 4905321; Filing date: Apr 7, 1988; Issue date: Mar 6, 1990; Inventor: Allen R. Walunga; Assignee: Allen R. Walunga; Primary Examiner: Jeanette E. Chapman

 

Faixas de punho e lesões no levantamento de peso

Faixas de punho foram desenvolvidas como dispositivos de proteção para trabalho braçal pesado envolvendo braços e mãos, e hoje ainda são usadas com esta finalidade. Nos esportes em geral, as faixas de punho protegem o atleta de lesões no punho e cotovelo, ao restringir movimentos forçados ou voluntários de flexão para trás ou laterais.

Lesões dos membros superiores são comuns nos esportes, envolvendo ombros, cotovelos e punhos. Existem duas classes principais de lesões: as de overuse (crônicas) e as traumáticas (agudas). As lesões de overuse do cotovelo incluem lesões musculotendíneas, lesões do nervo ulnar e ligamentosas. Lesões osteocondrais do capitellum e lesões de compressão posterior na articulação são frequentemente diagnosticadas em atletas. Lesões traumáticas agudas ao cotovelo incluem rupturas de tendão, deslocamentos e fraturas intra-articulares. Lesões de overuse do antebraço em atletas incluem fraturas do túnel do carpo, fraturas do gancho do hamato, síndrome de Kienbock e síndromes pisotraquais. Lesões ligamentosas incluem as lesões de instabilidade escafolunar, lunotreiqueal e mesocarpal. Lesões à articulação distal radio-ulnar e à fibrocartilagem triangular também são bastante comuns em atletas (Rettig 1998).

 

fig 5

(de:  Yale-New Haven Hospital Health Library, http://www.ynhh-healthlibrary.org/content.asp?page=P07451)

 

fig 6

(de: University of Pennsylvania Health Systems – Penn Orthopaedics – http://www.uphs.upenn.edu/ortho/oj/1999/html/PICS/p27f2.gif )

 

Em um estudo de 2005 conduzido pelo Institute of Sport and Recreation Research at New Zealand (Keogh et al 2005), 36% de todas as lesões de powerlifting envolveram o ombro e 11% envolveram o cotovelo. O punho não foi incluído no item de questões fechadas do questionário onde o respondente deveria indicar a parte do corpo afetada pela lesão. Muitas lesões de ombro, no entanto, são uma consequência tardia de overuse ou trauma ao punho.  Field and Savoie (1998) mostraram que a epicondilite lateral ocorria em 50% dos atletas que praticavam movimentos “overhead”. A despeito de ser uma lesão do cotovelo, a epicondilite lateral começa com o uso excessivo ou lesivo da musculatura extensora do punho. A maior parte das lesões de cotovelo são crônicas e de overuse (Safran 1995).

A restrição de movimentos de flexão, extensão e laterais dos punhos pode prevenir tais lesões originadas nos mesmos. A faixa de punho efetivamente serve a esse propósito.

Abaixo, a tabela de lesões de ombro comuns para diferentes esportes, de acordo com Frostick e colaboradores (1999). Treinamento com pesos em geral é associado a desordens de nervo ulnar.

 

fig 8

Extraido de: Frostick, S.P., Mohammad, M. and Ritchie, D.A. 1999. “Sport injuries of the elbow”. J. Sports Med. 33;301-311, p. 301.

 

Em sua revisão, Frostick e colaboradores (1999) apresentaram diversas versões para o estabelecimento de lesões de nervo ulnar. Flexão do cotovelo reduz a área do túnel cubital e pode, portanto, contribuir para as síndromes de compressão se o stress repetitivo e a inflamação estiverem também presentes. A instabilidade crônica do cotovelo parece ser frequentemente associada a lesões de nervo ulnar.

Tais condições estão presentes nos  levantamentos de peso e em muitos de seus exercícios assessórios. Aparentemente, a faixa de punho não apenas restringe a flexão do mesmo, mas também contribui para estabilizar o cotovelo durante a flexão.

Faixas de punho como equipamentos de performance

Será que as faixas de punho podem ajudar na performance nos levantamentos de peso? Não há nenhuma pesquisa publicada para amparar uma resposta a esta pergunta. A experiência dos atletas sugere que sim. Na verdade, se consultados, praticamente todos os powerlifters dirão que as faixas de punho são indispensáveis a alguns movimentos.

O uso mais frequente no powerlifting é no supino. O depoimento de atletas entrevistados sugere quase um efeito de carry-over, uma vez que relatam um aumento em carga máxima levantada com o uso da faixa se comparado com o levantamento sem ela. O mecanismo para tal efeito não é claro. Se é o resultado indireto de uma ação estabilizadora sobre as articulações envolvidas (punho e cotovelo) ou algum outro efeito diretamente relacionado ao movimento permanece tema para futuros estudos. Uma vez que o sucesso de um esforço máximo é criticamente dependente de precisão e estabilidade, esta provavelmente é a fonte do efeito de melhora de performance sentido pelos atletas.

Powerlifters também usam faixas de punho para o agachamento e o levantamento terra. No agachamento, a faixa de punho é claramente um dispositivo estabilizador, usado para prevenir movimentos articulares do punho que sejam lesivos e possam afetar a estabilidade da barra durante o levantamento. No levantamento terra, a faixa é usada principalmente para fortalecer a pegada. A maior parte dos atletas que fazem este uso alegam que sentem uma pegada mais firme com o uso da faixa.

No levantamento olímpico, faixas bem menos constrictivas são usadas para aliviar o efeito lesivo da flexão do punho. As faixas do levantamento olímpico, ao contrário do powerlifting, não devem restringir de maneira importante os movimentos articulares.

 

Considerações finais

Desde os precursores das faixas de punho modernas, o suporte, a prevenção de lesões e a “força adicional” foram seu propósito. Hoje, variantes das faixas de punho esportivas são utilizadas também para finalidades terapêuticas. Não há dúvida de que os atletas consideram este equipamento útil tanto para prevenir lesões como para melhorar a performance, mesmo que o mecanismo preciso pelo qual esta melhora ocorra seja pouco compreendido.

Faixas de punho são fabricadas com diferentes materiais e comprimentos. Cada material oferece uma combinação única de elasticidade, suporte e conforto ao levantador. Diferentes levantadores terão diferentes preferências: é compreensível que um powerlifter, homem, de 100kg e um levantador olímpico, homem, de 100kg prefiram faixas diferentes. Também é compreensível que uma powerlifter, mulher, de 56kg e um powerlifter, homem, de 140kg escolham faixas diferentes. A escolha é sempre muito pessoal.

Além do aspecto técnico, a relação entre o levantador e seu equipamento tem um componente psicológico e emocional importante. O equipamento de um levantador é a espada do guerreiro. Uma arma, sem dúvida, mas também um símbolo de sua busca, sua vitória e sua honra. Nunca subestime o aspecto ritual da escolha e uso de equipamento no esporte (especialmente no alto rendimento, onde o esporte ocupa um lugar simbólico mais importante na vida do atleta). Nunca, jamais, toque numa faixa de punho sem pedir permissão ao dono. Aliás, evite até mesmo pedir, a não ser que haja sinais inequívocos de que há espaço para isso. E quando você tiver a sua, trate-a com o respeito que o equipamento merece.

 

Referências bibliográficas

 

Drosness, V. 1901. Patent: WRISTBAND; Patent number: 680477. Filing date: Jun 14, 1901. Issue date: Aug 1901. Inventor: VITOLD DROSNESS

Field LD, Savoie FH. 1998. “Common elbow injuries in sport”. Sports Med. 1998 Sep;26(3):193-205.

Frostick, S.P., Mohammad, M. and Ritchie, D.A. 1999. “Sport injuries of the elbow”. J. Sports Med. 33;301-311

Hansard, H.H. 1923. Patent: WRIST SUPPORT. Patent number: 1469315. Filing date: Aug 25, 1921. Issue date: Oct 1923; Inventor: H. H. HANSARD

Keogh, J. Hume, P. and Pearson, S. 2005. “Retrospective injury survey of competitive Oceania powerlifters – A technical report for the Oceania Powerlifting Federation and their member federations”. Institute of Sport and Recreation Research New Zealand, Division of Sport and Recreation, Auckland University of Technology.

Rettig A.C. 1998. Elbow, forearm and wrist injuries in the athlete. Sports Med. 1998 Feb; 25(2):115-30.

Robinson. C.H. 1975. Patent: Athletic hand/wrist positioner (http://www.google.com/patents?vid=USPAT4138108). Patent number: 4138108. Filing date: Aug 15, 1975. Issue date: Feb 6, 1979. Inventor: Charles H. Robinson.

Safran, M.R. 1995. Elbow injuries in athletes. A review. Clin Orthop Relat Res. Jan;(310):257-77.

Tyrrell, J. 1909. Patent: WRIST-SUPPORTER. Patent number: 923217. Filing date: Jun 16, 1908.Issue date: Jun 1909. Inventor: JAMES TYRRELL

Walunga, A.R. 1990. Patent: Combined workout glove and wrist wrap. Patent number: 4905321. Filing date: Apr 7, 1988. Issue date: Mar 6, 1990. Inventor: Allen R. Walunga. Assignee: Allen R. Walunga. Primary Examiner: Jeanette E. Chapman.