Mary Oliveira é minha amiga (por enquanto virtual). Ela é psicanalista, atleta, mãe e avó e tem 56 anos. É uma pessoa que se expressa pelo texto, pela voz e pela imagem – em todas as midias, com competência e generosidade. Mary Oliveira é minha referência de ser completo e integrado. Acho que todos necessitamos de referências concretas para pensar a nós mesmos e ao mundo e, desde que não se torne uma forma de distanciamento e estereotipação, acho que é uma relação positiva. Mary é generosa ao se oferecer a esse papel – afinal, sabe que é única em sua espécie, marco original de um desejável e potencial mundo novo pelo qual eu e alguns outros lutam, de forma confusa, pouco sistemática e pouco organizada. Ela sintetiza nossos desejos e nossos esforços e permite que nos apropriemos desses símbolos.
Mary é possivelmente a mulher mais bela que já vi nos últimos muitos anos. Existe uma simetria e equilibrio espetaculares em seus músculos bem desenvolvidos. É uma mulher bastante musculosa e muito feminina. Em nada se parece com uma menininha e não há indícios de alguma estratégia (sempre triste) de resistir ao tempo e ao amadurecimento inexorável. Não há nenhum indício de derrota e sujeição à decadência e degeneração inevitáveis aos que não atuam sobre seus corpos e suas mentes. As linhas suaves de seu belo rosto transmitem compreensão e carinho. Ela se apropriou do tempo como adição, e não subtração. Ela é mais, e não menos, pelos anos que acumula.
Fiquei pensando no que ela representa para mim e, com certeza, para muitas outras mulheres e homens. Para mim, é a peça que faltava no meu quebra-cabeças. O primeiro texto desse blog fala de uma mulher que não existia, a mulher destinada a dominar o desafiador e tecnológico mundo novo que se afigura. A mulher corajosa e ousada, que usa os intrumentos tecnológicos e do saber para criar não apenas sua representação, mas seu próprio novo corpo. Eu imaginava essa mulher e não conhecia Mary. Hoje eu coloquei um rosto e um corpo na minha personagem. À frente do meu (realmente) admirável mundo novo, está Mary.

(ela ainda não tem um site pessoal, mas vai ter. Por enquanto, vocês precisam encontrá-la no orkut, onde podem admirar maravilhosas fotografias)

Marilia


BodyStuff

  • Anônimo

    Ainda metabolizando..

    Querida!
    Ainda estou sob emoção! Pensei que passadas 24 h da minha leitura estaria em condições de falar algo p/ ti,e percebo-ainda não…EStou novamente emocionada,jamais esperei tal surpresa..Por hora vou te deixar um abraço bem apertado e uns beijões e depois,mais resolvida,volto p/ “conversar” a respeito..
    Mary Oliveira

  • Anônimo

    Eu conheço a Mary

    Olá
    Conheci a Mary recentemente pela internet e tive a oportunidade de trocar umas idéias com ela. Concordo em gênero, numero e grau com tudo que a Marília disse.
    A Mary é concretização humana de todas as minhas fantasias e desejos.
    Ela é linda, culta, inteligente, animada, engraçada, alto-astral e é claro, tem um físico lindo, sarado. Ela curte o que faz, não esconde e não está nem aí para o que outros acham…
    Depois de décadas cultuando essa estética vendo revistas e filmes, é maravilhoso encontrar uma pessoa que reune muitos atributos.
    Ela é fantástica mesmo.
    Um beijo pra Mary e Marilia
    Marcelo

    • Anônimo

      Eu conheço o Marcelo..

      Marcelo!
      Estou novamente emocionada e mto feliz! Tu e a Marilia estão me deixando “inchada” de tanta satisfação! Quero retribuir tamanha generosidade,mas fico “quieta”! Está é uma de minhas deficiências -qdo emocinada pelo bom ou mau,calo! Só sinto…não consigo falar,penso e não consigo colocar em palavras,é algo…Mas fica sabendo,tanto tu qto a marilia que estou muito feliz..
      Um grande beijo nos dois…….
      Eu tb conheci o Marcelo,um homem inteligente,sensìvel,simpático,agradável de conversar,e mais -admirador de mulheres saradas e musculosas…E acho que através da Marilia e de mim,esta tendo a oportunidade de agora conhecer o “musculo” de nossas mentes tb…Penso que está sendo um encontro gratificante p/ todos nós….

  • Mary e o futuro

    Por motivos complicados demais para descrever aqui, andei por um bom tempo presa no presente. Em geral as pessoas reclamam de ficar presas no passado ou no futuro. De fato, não há nada pior. Mas encontrei essa outra prisão, essa que resulta de futuros impossíveis. Me incomodava a atitude depressiva de muitas das minhas amigas e familiares, da minha idade e especialmente as mais velhas (que quase que se orgulhavam ao mostrar como minha eufórica relação de poder e prazer com o corpo era futil e efêmera). Mas eu deixava pra lá – o futuro nunca existiria. Acho que não ter nenhum paradigma para pensá-lo, sob o ponto de vista da minha propria existência, tornava esse futuro mais absurdo ainda, mais inexistente. Foi a entrada da Mary na minha vida que me sacudiu desse comodismo fatalista. Tendo como me pensar no futuro, um norte, uma referência, não está mais tão fácil me acomodar nessa prisão do presente. O futuro começa a aparecer de novo, não só nos meus textos, mas na minha emoção. Por esse presente, não há gratidão suficiente.

    • Anônimo

      Nós duas..

      Querida…Estou tomada de emoção,minha pele esta tendo ondas de um arrepio..Li ontem,fiquei emocionada,pensei – amanhã escrevo p/ ela! Chegou hoje,fui no do Marcelo primeiro…Pensei,talvez me prepare melhor,que nada, ao ler novamente-lá sou tomada ” por violenta emoção”. Confesso que eu tb tive,tenho estás “questões” com o tempo!Havia um tempo que eu vivia p/ o futuro,pensava e preparava-o,até que percebi que tinha que viver cada dia como meu futuro,hoje eu vivo o futuro..no presente!
      Marilia! Comecei há pouco(lendo teu texto! rs..)a pensar o pq da crítica em relação ao amor pelo corpo. Pois parecem acreditar em uma dissociação entre cuidar da mente e cuidar do corpo!
      Mas voltando ao tempo , tenho procurado viver todos os meus momentos com toda minha possibilidade de tirar dele o melhor..E sempre acreditando que amanhã vou estar melhor do que hoje,apesar da lei da gravidade insistir em querer me mostrar o contrario..Este atualmente é um de meus maiores desafios…

      Querida ainda meio ” boba” pelas homenagens..te mando um beijão..

      • Anônimo

        Re: Nós duas..

        Olha só quem eu encontrei por aqui, a minha grande e querida amiga Mary.
        Talvez seja dificl saber quem eu sou, pois não sei como me identificar ali em cima, então entrei como anonimo, mas sou o Julio Cesar do Orkut, e estou tanto na lista de amigos da Marilia, quanto da Mary, e tb estou no msn da Mary.
        Poxa, mas falar da Mary seria chover no molhado, ou ventar no Saara.
        Eu até cheguei a escrever um testemunhal para ela lá no perfil dela, mas tive que terminar pois os testemunhais são restritos a um numero de caracteres, então ficou pela metade tudo o que eu queria escrever sobre esta pessoa espetacular que é a Mary.
        Mas dentre tantoa adjetivos aqui postados sobre a Mary (e eu concordo com todos) faltou um que ninguém citou até pq não tiveram a oportunidade de vivenciar este lado humano dela, a Mary é completamente desprovida de preconceitos, aceita as pessoas como elas são, não se fixando em beleza fisica e sim no que as pessoas tem para oferecer em termos culturais e intectuais.
        Eu disse “em meu caso em particular” pq sou deficiente fisico, e sinto como os valores pessoais são distorcidos entre as pessoas. Os sentimentos são facilmente disfarçados por palavras, depois que foi inventado o politicamente correto ficou muito fácil se dispensar as pessoas, que não se enquadram em certos conceitos de beleza.
        Hoje em dia é muito fácil as pessoas dizerem que se importam com o interior das pessoas e que a aparencia fisica não importa, mas na verdade são frases que não condizem com a realidade, são frases prontas para amenizar uma situação de desconforto causada por quem é diferente e nada atraente fisicamente. Só que estas pessoas que dizem isso se esquecem dos atos delas mesmas, e estes atos denunciam o verdadeiro valor das palavras ditas da boca pra fora, e eu sou PHD enste sentido por isso posso garantir que a Mary é uma pessoa diferenciada e desde que ela me aceitou no orkut e logo veio para meu msn eu alertei a ela que não sou uma pessoa perfeita fisicamente e ela disse que não se importava e realmente não se importou, voltou a conversar comigo, a falar comigo trocamos idéias, brincamos, falamos bobagens e nos divertimos muito sempre que nos encontramos no msn. E tiveram pessoas que eu falei como sou, da mesma forma que falei para a Mary e fui imediatamente bloqueado, pessoas até que conheci no orkut, onde conheci tb a Marilia.
        Não neguei para nenhuma delas que sou um admirador de mulheres musculosas e sei tb do tipo de preconceito que mulheres com o corpo diferenciado sofrem, pois como disse antes, em matéria de preconceito eu sou escolado.
        A vida ensina a gente a viver, tudo nela é uma questão de costume, temos que nos acostumar com as particularidades que a vida nos apronta e sempre terem mente que devemos pensar no presente, quem vive de passado é museu e quem vive para o futuro é perú de Natal, e não somos nenhuma destas coisas, o presente é o que realmente interessa, o que vc fizer agora lhe dará o prazer imediato ou o desgosto imediato de ter feito.
        Ih, acho que já falei demais, se deixar eu escrevo um livro aqui.
        Parabéns pelo site Marilia, está muito legal.
        E Mary, um beijo grande no teu coração, gosto de ti para cara…
        BEIJOS……………………………JULIO CESAR